Comer do mesmo pão

Simone Furquim Guimarães

A leitura do Evangelho proposta pela Igreja hoje é Mc 8,1-10. Trata da narrativa da multiplicação de sete pães e alguns peixinhos. O milagre acontece na região dos pagãos, chamada Decápole. Não acontece junto aos judeus. Esta é a segunda narrativa sobre a multiplicação dos pães. Enquanto a primeira multiplicação dos pães (Mc 6,31-44) fora feita junto aos judeus, a segunda é feita para os pagãos.

Interessante observar que Jesus faz missão na região dos pagãos, vê, ouve e tem compaixão. Isto acontece logo após a conversa que ele teve com a mulher Siro Fenícia (Mc 7,24-30). Esta mulher é uma pagã, ou seja, não pertence ao judaísmo, é estrangeira. Ela despertou a compreensão em Jesus, que é um judeu, que todos e todas são filhos de Deus e merecem o mesmo tratamento. Depois desta conversa, Jesus amplia seu olhar para a universalidade da salvação de Deus. Agora os pagãos não são reduzidos a comer as migalhas que caem da mesa dos filhos do Reino. Agora eles pertencem a festa do Reino e se alimentam do banquete igualmente e com fartura (sobram sete cestos).

A leitura informa que Jesus, vendo a multidão novamente reunida em torno dele, teve compaixão. A Campanha da Fraternidade deste ano convoca-nos a ver, sentir compaixão e cuidar. 

Assim como Jesus nos ensinou por meio de sua experiência de vida, transcrita no Evangelho de Marcos, devemos ampliar nosso olhar, ir além para as pessoas de dentro das nossas paróquias. Compreender que todos e todas são filhos e filhas do mesmo Pai, independente de que lugar de origem e da religião a que pertencem. 

Jesus teve compaixão dos pagãos daquela região. É o que ele nos pede, pede para toda liderança religiosa. 

Se compreendermos isto, não haverá mais perseguições e violências que infelizmente acontecem em Brasília contra os terreiros de umbanda e candomblé. Não haverá perseguição e expulsão de irmãos e irmãs estrangeiros. Que todos nós possamos viver em comunhão, comer do mesmo pão, viver o Reino, a festa do Reino de Deus.


Simone Furquim Guimarães é mestre em Teologia na linha bíblica. Tem experiência na área de Leitura Popular da Bíblia no Centro de Estudos Bíblicos (CEBI).

Esta reflexão bíblica foi originalmente apresentada no Programa de Justiça e Paz, produzido pela Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília, que vai ao ar todo sábado, às 11:00, na Rádio Nova Aliança.

Desde outubro de 2020, também disponível no podcast Ignatina.

Imagem
ATELIÊ 15
Instagram | Facebook | WhatsApp | Loja

Palavra de Deus

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: