Cristo não tem lar!

Cristo não tem lar! Não queremos dar-lho nós, os que temos a ventura de ter um lar confortável, comida abundante, meios para educar e assegurar o porvir dos filhos? ‘O que fizerdes aos mais pequeninos dos meus irmãos o fareis a mim’, disse Jesus.

Preparação orante para a festa de Santo Alberto Hurtado — Quinto dia

Leia mais Cristo não tem lar!

Dar-se aos irmãos é dar-se a Cristo

A caridade urge-nos de tal maneira que não podemos rechaçar o trabalho: consolar um triste, ajudar um pobre, um enfermo que visitar, um favor que agradecer, uma conferência a fazer; dar um aviso, fazer uma diligência, escrever um artigo, organizar uma obra; e tudo isso acrescentado aos deveres cotidianos.

Preparação orante para a festa de Santo Alberto Hurtado — Quarto dia

Leia mais Dar-se aos irmãos é dar-se a Cristo

Carta ao Povo de Deus

Somos bispos da Igreja Católica, de várias regiões do Brasil, em profunda comunhão com o Papa Francisco e seu magistério e em comunhão plena com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, que no exercício de sua missão evangelizadora, sempre se coloca na defesa dos pequeninos, da justiça e da paz. Escrevemos esta Carta ao Povo de Deus, interpelados pela gravidade do momento em que vivemos, sensíveis ao Evangelho e à Doutrina Social da Igreja, como um serviço a todos os que desejam ver superada esta fase de tantas incertezas e tanto sofrimento do povo.

Leia mais Carta ao Povo de Deus

Uma aposentadoriazinha e outra parte de sua história

Antônio Erlindo Braga era auditor do Tribunal de Contas do Estado do Pará, quando chegou-lhe às mãos o processo de aposentadoria compulsória da professora Graziela Guimarães Pimentel. Ele analisou com atenção o pedido e o deferiu, lamentando o valor do benefício, depois de uma vida dedicada ao magistério, à época pouco menos de R$ 180,00. Isso mesmo: cento e oitenta reais. O salário mínimo, em 1994, ano era de exatos cem reais. Hoje, a professora Graziela Guimarães Pimentel não receberia mais do que R$ 1.800,00.

— João Carlos Pereira

Leia mais Uma aposentadoriazinha e outra parte de sua história

Coração de Jesus como urgência ao chamado à caridade

A devoção ao Coração de Cristo e ao Coração de Maria têm esse sentido profundo: recordar aos homens entristecidos do mundo moderno que acima de suas dores há um Deus que nos ama, há um Deus que é amor, um Deus que quando quis escolher um símbolo para representar a mensagem mais sentida de sua alma escolheu o Coração porque simboliza o amor, o amor por eles, os homens dessa terra.

Preparação orante para a festa de Santo Alberto Hurtado — Segundo dia

Leia mais Coração de Jesus como urgência ao chamado à caridade

Encher a vida de amor

A melhor maneira de realizar a vida: enchê-la de amor, e ao fazer assim não estamos senão cumprindo o preceito do Mestre. Pouco antes de partir deste mundo

Preparação orante para a festa de Santo Alberto Hurtado — Primeiro dia

Leia mais Encher a vida de amor