Categoria: Padre Adroaldo Palaoro, SJ

Fidelidade no seguimento de Jesus

Depois do percurso quaresmal e pascal, a liturgia nos situa novamente no chamado “Tempo Comum”; trata-se de um percurso contemplativo que nos convoca a fazer caminho com Jesus, realizando sua missão e preparando a comunidade dos seus seguidores. Tendo os olhos fixos n’Ele, viveremos uma longa aprendizagem, deixando que o Mestre da Galileia faça emergir o que é mais nobre e humano de nosso interior. Tempo de seguimento e identificação com Aquele que foi “humano” na sua radicalidade.

— Pe. Adroaldo Palaoro, SJ

Leia mais Fidelidade no seguimento de Jesus

“A Santíssima Trindade é a melhor comunidade” (CEBs Brasil)

Neste domingo, a Igreja celebra a Festa da Santíssima Trindade. Parece que celebramos algo estranho e distante de nossa compreensão. No entanto, a festa da Trindade nos mobiliza para uma nova maneira de viver e de nos relacionar com o Deus de Jesus, cuja presença preenche o cosmos, irrompe na nossa vida, habita criativamente no interior de cada um de nós e é vivido em comunidade.

— Pe. Adroaldo Palaoro, SJ

Leia mais “A Santíssima Trindade é a melhor comunidade” (CEBs Brasil)

A nobreza de ser morada da Trindade

Neste último domingo de Páscoa a liturgia, mais uma vez, nos faz ter acesso a um trecho do discurso de despedida de Jesus, no evangelho de São João. Na realidade, trata-se de um “discurso pascal”, onde o evangelista recolhe os dons principais revelados pelo Ressuscitado: vida, amor, paz, fé, Espírito Santo.

— Pe. Adroaldo Palaoro, SJ

Leia mais A nobreza de ser morada da Trindade

A escuta no “divino ofício do pastoreio”

A imagem do Bom Pastor está carregada de simbolismos interessantes, embora não tenha tanto impacto no contexto urbano em que vivemos, onde os valores da igualdade e democracia parecem estar em contradição com a imagem de rebanho conduzida por um Pastor. No entanto, para muitos, as imagens do “cercadinho” e a do “gado manipulado” parece não causar tanta estranheza.

— Pe. Adroaldo Palaoro, SJ

Leia mais A escuta no “divino ofício do pastoreio”