Categoria: Palavra de Deus

Bíblia, Sagradas Escrituras. Quando for comentário ao Evangelho de domingo, usar categoria “Comentário ao Evangelho”, no tempo litúrgico correspondente.

Agentes curadores

Ao falar com os discípulos, Jesus alerta a igreja cristã, primeira a receber as instruções sobre o Reino dos Céus, que sem a fé, mesmo que pequena (do tamanho de um grão de mostarda) não é possível mover obstáculos, como as montanhas. Jesus está olhando para as montanhas de Jerusalém. E Jerusalém é onde concentra os poderes que oprimem, exploram e adoecem as pessoas.

— Simone Furquim Guimarães (Cebi-DF)

Leia mais Agentes curadores

A arte de enfrentar tempestades

Também a Igreja se mostra, muitas vezes, presa ao medo, matando seu espírito profético. Uma Igreja medrosa torna-se conivente com a cultura da violência e da morte. Enquanto mais teme, mais se fecha e se entrincheira atrás de normas, doutrinas, ritos...; e quanto mais se entrincheira, mais frágil se torna.

— Pe. Adroaldo Palaoro, SJ

Leia mais A arte de enfrentar tempestades

O papel do profeta

Diante dos acontecimentos da realidade brasileira, é urgente ouvir a voz dos profetas e profetisas de hoje.
É preciso conhecer o papel social dos profetas, à luz do que os textos bíblicos nos mostram e ensinam.

— Simone Furquim Guimarães (Cebi-DF)

Leia mais O papel do profeta

Somos as mãos de Deus

Jesus não pediu a Deus que solucionasse o problema da fome, e sim, mobilizou os seus discípulos para que encontrassem uma saída diante daquela penúria. E a saída está na capacidade de partilha de todos.

— Pe. Adroaldo Palaoro, SJ

Leia mais Somos as mãos de Deus

Joio e Trigo — Duas Bandeiras

Santo Inácio de Loyola nos seus Exercícios Espirituais propõe uma meditação paradigmática das Duas Bandeiras. Uma comparação entre a parábola de Mateus e a meditação inaciana poderia nos ajudar aprofundar a nossa busca de ser trigo no celeiro de Deus e de ser soldado de Cristo combatendo contra o joio e contra o maligno no tempo atual.

— Cyril Suresh, SJ

Leia mais Joio e Trigo — Duas Bandeiras

Quando o tesouro e a pérola nos encontram

As parábolas são uma expressão de surpresa diante da vida, que nos ultrapassa sempre, fazendo-nos capazes de pensar de um modo diferente, captar o outro lado da realidade concreta e abrir-nos à dimensão da transcendência. Dessa forma, elas recolhem e des-velam a vida real dos homens e mulheres de cada tempo, movendo-os a assumir uma atitude mais aberta e mais comprometida com a situação onde estão envolvidos. Isso significa acolher o dom e a missão do Reino.

— Pe. Adroaldo Palaoro, SJ

Leia mais Quando o tesouro e a pérola nos encontram