Tempo de Deus

Simone Furquim Guimarães

A leitura do Evangelho de hoje é Mt 9,35-10,1.6-8. Jesus percorre os povoados, na periferia da Galileia, em missão de anunciar o Evangelho e instaurar o Reino de Deus no meio das pessoas mais vulneráveis do sistema religioso e político. Durante a missão, Jesus se compadece dessas pessoas; ou seja, sente na pele a dor e sofrimento. O evangelista conclui o capítulo 9, dizendo que as ações de Jesus foram motivadas pelo amor e pela compaixão: “Ao ver a multidão teve compaixão dela, porque estava cansada e abatida como ovelha sem pastor”.

Na Bíblia, os pastores são simbolizados por dirigentes religiosos e políticos. O profeta Ezequiel vai dizer dos maus pastores:

Não fortalecestes a ovelha fraca, não curastes a doente, não enfaixastes a ferida, não trouxestes de volta as desgarradas nem buscastes as perdidas; pelo contrário, tendes dominado sobre elas com tirania e brutalidade.

Ez 34,4-6

O profeta Jeremias denuncia-os, dizendo:

Ora, meu povo tem sido como ovelhas perdidas; seus pastores as desencaminharam e as fizeram perambular pelas colinas. Elas vaguearam por montes e montanhas e se esqueceram de seu próprio lugar de repouso…

Jr 50,6.17

Ao ver a multidão sofrida, Jesus resgata a profecia e faz as mesmas denúncias. Com suas doutrinas excludentes, os dirigentes da época dispersaram e desgarraram as ovelhas.

Em nossa realidade, a multidão de famintos e miseráveis escancara uma sociedade sem pastores, sem dirigentes fiéis ao projeto de Deus. Muitos dirigentes políticos e religiosos, que deveriam estar cuidando de suas ovelhas, revelam sua face de lobo voraz que estão alinhados ao deus Mercado, ao deus Mamom, ao deus Dinheiro, tantas vezes criticados por Jesus.

O Evangelho de hoje está em consonância com a missão de Dom Tomás Balduíno, que foi homenageado nesta semana, no dia 28 de novembro de 2022, no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília. A presença e o testemunho de Dom Tomás refletem os ensinamentos de Jesus no Evangelho de hoje. Ele era um pastor que cuidava de suas ovelhas, era sensível às causas dos pobres, dos indígenas, dos camponeses; foi um operário da messe de Jesus Cristo.

O Evangelho de hoje alerta a todos nós a sermos pastores, operários na missão cristã, pois a messe é grande e os operários são poucos. O Evangelho nos alerta a não olhar apenas para a ajuda espiritual, mas também social, sobretudo para aqueles e aquelas que são marginalizados pela sociedade e não têm acesso a oportunidades de mudanças estruturais.

Que neste período do Advento seja tempo propício (tempo kairós, tempo de Deus) para atendermos o chamado de Jesus e seguir o seu caminho.

 


Ouça no Podcast Ignatiana [link]


Simone Furquim Guimarães é mestre em Teologia na linha bíblica. Tem experiência na área de Leitura Popular da Bíblia no Centro de Estudos Bíblicos (CEBI/Planalto Central).


Esta reflexão bíblica foi originalmente apresentada no Programa de Justiça e Paz, produzido pela Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília, que vai ao ar todo sábado, às 11:00, na Rádio Nova Aliança.

Desde outubro de 2020, também disponível no podcast Ignatina.

Palavra de Deus Simone Furquim Guimarães

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: