Projeto de amor

Simone Furquim Guimarães

A leitura de hoje é Lc 13,1-9. Algumas pessoas procuraram Jesus para lhes dizer sobre o castigo que Galileus sofreram na mão de Pilatos quando o mesmo mandou matá-los. Eles entendiam que este castigo era, na verdade, um castigo de Deus por causa de seus pecados. Era assim que muitos religiosos entendiam: se estou sofrendo, seja por doenças ou tragédias é porque cometi algum pecado.

Após ouvir essas ideias de castigo de Deus, Jesus conclama por duas vezes à conversão. A palavra conversão significa mudar o próprio pensamento, o modo de ver e viver. Jesus convoca a essa mudança porque ele sabe que o pecado (que é uma palavra grega que significa “errar o alvo”) leva a pessoa à autodestruição e a destruição do coletivo. Por isso, Jesus adverte que se continuarem pensando e agindo assim, “perecereis todos do mesmo modo” (v.3.5). Eles perecerão não porque é Deus que castiga, mas sim, porque o próprio ser humano é responsável por produzir o bem ou o mal para si mesmo.

Nessas eleições políticas, Jesus nos convoca a conversão para não mais “errar o alvo”; não mais nos deixar enganar com notícias falsas que estão gerando tanta discórdia (ódio), violência, divisão entre os próprios cristãos dentro da igreja católica. Se continuarmos enxergando assim, e “errando o alvo”, iremos nós mesmos perecer enquanto igreja, enquanto coletivo…

E qual é o nosso alvo? Jesus se revelou como sendo a verdade: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6). O que significa a verdade na Bíblia? Nos Evangelhos, verdade está relacionada à figura de Jesus e a sua vida que está em consonância com o projeto do Pai. Então, verdade é ser fiel ao projeto de Deus para produzir os frutos da justiça.

Este projeto se fundamenta no amor. Então o alvo é espelharmos o amor de Deus no mundo. Como fazemos isso? Produzindo frutos para o Reino. Por isso, logo em seguida, Jesus conta uma parábola da figueira que não produzia frutos, porém não fora cortada. Isto quer dizer que Deus é paciente com seus filhos (simbolizados pela figueira) para que se convertam e produzam frutos para o Reino, frutos de Justiça instaurada por Jesus. Se não produzirmos os frutos da justiça, nós mesmos estaremos nos autodestruindo.

Que o bom Deus seja nosso guia no caminho e direção de nossa vida cristã para que sejamos fiéis ao seu projeto de amor.


Ouça no Podcast Ignatiana [link]


Simone Furquim Guimarães é mestre em Teologia na linha bíblica. Tem experiência na área de Leitura Popular da Bíblia no Centro de Estudos Bíblicos (CEBI/Planalto Central).


Esta reflexão bíblica foi originalmente apresentada no Programa de Justiça e Paz, produzido pela Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília, que vai ao ar todo sábado, às 11:00, na Rádio Nova Aliança.

Desde outubro de 2020, também disponível no podcast Ignatina.

Palavra de Deus Simone Furquim Guimarães

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: