Humildade

Cléria d’Almeida Córdova

Aprendei de Mim que Sou manso e humilde de coração.

Ter humildade,
É ter os pés firmes
no chão da terra de onde viemos: somos pó
E olhos no Céu
Para onde vamos: somos seres celestes.

Mas é intransponível a distância…
Precisamos ter asas,
E elas, nós as adquirimos aqui,
Ao crescermos interiormente,
Elas crescem também,
Estendem-se,
Alcançando através da energia do amor,
Tudo e todos que nos rodeiam.
Este crescimento torna-nos humildes,
No conhecimento das nossas incapacidades
De desapegar, compreender, aceitar, perdoar e amar.

Só na nossa total entrega a Deus,
No abrir mão dos nossos planos,
Vamos sendo treinados para este voo.

— Quem poderá então salvar-se?
Jesus olhou para eles e disse:
— Aos homens isto é impossível, mas a Deus tudo é possível.

Mateus 19, 25-26

Salvador, 9 de julho de 2020.


Cléria d’Almeida Córdova, Poetisa, Mulher, Mãe e Vovó de Maria Eduarda, Helder e Inácio. Devota de Santa Dulce dos pobres, que tem o privilégio de apreciar o pôr do Sol na Bahia de todos os Santos.

Imagem: Tarsila do Amaral — Distância, 1928. In: Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. São Paulo: Itaú Cultural, 2021.

Poesia

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

1 comentário Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: