Laudato Si’: seis anos

Luiz Fernando Krieger Merico

Mística do século XXI — programa nº25

Reflexões a partir das encíclicas
Laudato si’ e Fratelli tutti

Há seis anos, exatamente em 24 de maio de 2015, o papa Francisco lançava um desafio à humanidade, um verdadeiro programa de reflexão e ação para guiar a caminhada individual e coletiva das sociedades ao redor do mundo neste momento que vivemos: lançava a encíclica Laudato Si’. Por isso hoje quero resgatar aqui neste espaço o seu significado e importância, porque não podemos deixar ressaltar suas denúncias, sonhos, intuições e propostas para o cotidiano da vida litúrgica e pastoral de nossa Igreja e da sociedade como um todo, numa continuidade fluida entre a formação, a ação e a celebração cristã.

A catequese e a iniciação à vida cristã podem se tornar uma descoberta emocionada da responsabilidade de cuidadores da Casa Comum, onde o Criador nos chama a vivenciar a “fraternidade universal”, em harmonia com todas as criaturas por Ele criadas e por Ele amadas. As juventudes são especialmente desafiadas e devem ser apoiadas a assumirem com criatividade a missão de pensar e construir iniciativas de promoção e defesa da vida em todas suas instâncias. As celebrações da Palavra e da Eucaristia deveriam se abrir a uma dimensão cósmica de comunhão com todas as criaturas, de escuta reverencial da voz e do grito da Terra e de seus povos, de resposta apaixonada à missão, para que tudo tenha vida abundante. Esta perspectiva é fortemente corroborada pela CNBB.

Na encíclica, como já tivemos oportunidade de ressaltar neste espaço, o papa Francisco convoca o mundo inteiro para reflexões e ações sobre o tema da Ecologia Integral partindo de uma impactante visão da realidade, que aborda o que está acontecendo com nossa casa comum: poluição, mudanças climáticas, escassez da água, grave perda da biodiversidade, e revela que “hoje, a análise dos problemas ambientais é inseparável da análise dos contextos humanos, familiares, laborais e urbanos, e da relação de cada pessoa consigo mesma, que gera um modo específico de se relacionar com os outros e com o meio ambiente” (LS, 141).

Na criação, Deus deu ao ser humano a importante vocação de ser o guardião da criação.  E lembrando que tudo está interligado, a Laudato Si’ exige uma preocupação pelo meio ambiente, unida ao amor sincero pelos seres humanos e a um compromisso constante com os problemas da sociedade” (LS, 91). A crise ecológica tem uma raiz humana, manifestada pela irresponsabilidade diante da falta de padrões éticos que regulam o desenvolvimento. Assim, a nova cultura ecológica deve construir um paradigma diferente do atual modelo capitalista predatório. A Laudato Si’ ensina que não há duas crises separadas: uma ambiental e outra social; mas uma única e complexa crise socioambiental (LS, n. 139). É urgente uma conversão ecológica que seja capaz de construir uma nova cultura, pautada na vida integral dos seres humanos e do meio ambiente. Para isso, o princípio do bem comum e da solidariedade torna-se o horizonte de construção de uma nova civilização.

Trata-se de um longo processo que deve contar com a colaboração de cidadãos e cidadãs e de lideranças políticas e religiosas de todo mundo, envolvendo uma conversão tanto individual quanto coletiva, passando de uma cultura baseada no consumismo para um estilo de vida orientada pelo princípio do “bem viver”. Nestes seis anos de existência da Laudato Si’ é necessário resgatar que o papa é claro ao dizer que precisamos de uma “revolução cultural” e a nos indicar que a dinâmica de conversão é exigente e profunda. Como pessoas e como Igreja, precisamos dar passos decisivos. “Ainda há tempo, nos diz Francisco, mas o tempo é agora!”

Ouça no Podcast Ignatiana

Encíclicas ecofraternais do Papa Francisco

Laudato si’, sobre o cuidado da casa comum (2015)
Fratelli tutti, sobre a fraternidade e a amizade social (2020)

Luiz Fernando Krieger Merico é graduado em Geologia (UFPR), mestre em Análise Ambiental (UNESP), doutor em Geografia (USP), possui aperfeiçoamento no Schumacher College (Inglaterra) em Economia Ecológica. É autor do livro A transição para a sustentabilidade.

Ecologia Mística do século XXI

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: