Tempo das Perguntas

Caminhada Inaciana 2020 – Terceiro Pouso

No terceiro pouso vamos refletir sobre a boa provocação que José Tolentino nos apresenta ao dizer que um ponto positivo da pandemia “é a qualidade das perguntas que escutamos”. 

O isolamento social, com o afastamento das pessoas que amamos, os milhões de casos de covid-19 e as milhares de mortes nos trouxeram muitas interrogações.

Mas quais são as perguntas que estamos fazendo a nós mesmos e aos outros? Como estas perguntas dialogam com aquilo que somos ou que queremos ser, e, sobretudo, como estas perguntas podem nos ajudar a aprofundar a nossa relação com Deus?

Nestes tempos, certamente, mais importantes que as respostas são as perguntas que podem nos levar mais longe na convivência com Deus e com os nossos irmãos! No livro, “O pequeno caminho das grandes perguntas” José Tolentino diz que a pergunta que o acompanha desde a juventude veio de um romance de Henry James: o que te salva? Esta é a pergunta que muitas vezes faz parte de seu exame de consciência todas as noites. E nós? Neste momento de crise humanitária, o que pode nos salvar coletivamente? E o que pode salvar a cada um de nós? E neste contexto, ele nos ensina que a qualidade das perguntas é fundamental para a nossa estabilidade espiritual, porque ela nos ajuda a “relativizar o que é relativo e a nós ancorarmos no que é essencial”.

Muitas vezes somos tentados a passar por cima das perguntas sem permitir que elas ressoem dentro de nós, sem deixar que elas possam nos habitar para ir “mais fundo e até o fim” na busca das respostas. E, nestes casos, muitas vezes, as respostas ao invés de nos trazer a quietude e a paz, elas nos atordoam, porque são resultados de um desencontro com a gente mesmo.

Neste sentido, precisamos ter a coragem de sair da nossa zona de conforto e mergulharmos no interior de nossa alma, permitindo que as nossas perguntas nos conectem com a nossa própria existência.

No dia 27 de março, na Praça São Pedro, ao dar a bênção extraordinária pelo fim da pandemia o Papa Francisco invocou o Evangelho de Marcos. Diante da tempestade em alto mar, ao ouvir dos discípulos a pergunta: tu não te importas? Jesus acalma o mar revolto e também faz duas perguntas cruciais aos discípulos, as quais se aplicam aos nossos dias: Por que sois tão tímidos? Por que não tendes Fé?

Assim como Santo Inácio, Tolentino também nos consola ao anunciar que as respostas de Deus estão nas pequenas coisas do nosso dia-dia, no sofrimento, no anti-herói, e não, no que é espetacular e grandioso! Com o mantra “De noite iremos, de noite” vamos fazer a nossa escuta pessoal e valorizar a importância do silêncio em nossas vidas.


Caminhada Inaciana 2020
Introdução
1º Pouso | 2º Pouso | 3º Pouso | 4º Pouso | 5º Pouso

Imagem: Tikashi Fukushima — Vento e mar, 1960. Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras

Espiritualidade cristã

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: