Dia Internacional da Mulher

Simone Furquim Guimarães

Quando celebramos o dia internacional da mulher, fazemos memória a luta histórica daquelas que se uniram coletivamente e pensaram estratégias com vistas a conquistar a dignidade, direitos trabalhistas, civis e de igualdade entre homens e mulheres.

Para nós, cristãos e cristãs, é momento de trazer a memória as mulheres da Bíblia.  Muitas vezes lemos as histórias bíblicas que exaltam as proezas dos homens e não valorizamos as mulheres que são relatadas nos textos bíblicos. 

Pensando num coletivo de mulheres que se organizam para lutar por justiça, lembremos, por exemplo, das parteiras que salvaram a vida de Moisés, grande líder do povo de Deus.

Esse relato está logo no início do livro do Êxodo. O rei do Egito, vendo que o povo de Israel crescia, dá ordens para as parteiras, ao ajudarem as mulheres dos hebreus darem à luz, devem matar os meninos. 

É importante lembrar que as parteiras ousam enfrentar o rei e não o obedeceram. Elas se uniram para driblar o Faraó e garantiram a vida dos meninos. Não sabemos o que aconteceu com elas, mas sabemos que a coragem, a fé e a resistência delas são luzes para nosso caminhar.

As parteiras são exemplo da teimosia e da resistência dos pequenos, que na aparente fragilidade, mas com muita sabedoria e união, e na certeza de que Deus está com elas, enfrentam o poder opressor do império. 

O movimento destas mulheres na defesa da vida remete-me aos coletivos de mulheres que se organizam para lutar contra os opressores que desmontam os direitos e a dignidade de vida dos mais pobres e frágeis nos dias atuais. Essas mulheres são nossas parteiras, no sentido de quem busca garantir a vida e por isso cria e recria laços e elos de solidariedade. 

Desde o dia 5 de março de 2020, Mulheres sem terra de acampamentos e assentamentos em 24 estados participam de debates e formações sobre vários temas, como a produção agroecológica, produção de alimentos saudáveis, enfrentamento à violência, autonomia econômica das mulheres e resistência nos territórios.

E no dia 8 de março de 2020, todas elas vão se reunir em Brasília e em vários lugares para uma marcha em defesa da “Vida das Mulheres, Contra o racismo, o machismo e o fascismo”.

Que o Deus das parteiras que garante a vida com dignidade, conceda a todas nós mulheres a audácia e a coragem de lutar pela justiça.


Simone Furquim Guimarães é mestre em Teologia na linha bíblica. Tem experiência na área de Leitura Popular da Bíblia no Centro de Estudos Bíblicos (CEBI).

Esta reflexão bíblica foi originalmente apresentada no Programa de Justiça e Paz, produzido pela Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília, que vai ao ar todo sábado, às 11:00, na Rádio Nova Aliança.

Palavra de Deus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: