Vencer o medo

Simone Furquim

A leitura do Evangelho proposta pela igreja hoje é Mc 4,35-41. Narra Jesus e os discípulos no barco, atravessando o mar da Galileia. Jesus dorme durante uma tempestade de fortes ventos. Os discípulos acordam Jesus e perguntam: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?”. Os discípulos não compreendem a pessoa de Jesus: “Quem é este, para que até o vento e o mar lhe obedeçam?”. Diante desta incompreensão, Jesus questiona: “por que estais tão amedrontados? Ainda não tendes fé?”.

No tempo do Império Romano, as pessoas viviam com muito medo, pois o império romano subjugavam as pessoas, crucificavam aqueles que se revoltavam contra o imperador. O mar era símbolo do medo porque a legião de soldados combatentes vinham de Roma pelo mar. Mas Jesus enfrenta o mar, ou seja, Jesus enfrenta a ideologia do poder romano, enfrenta os ventos e tempestades no mar. 

Nesta narrativa, eivada de simbolismo, o evangelista levanta a questão para os cristãos de seu tempo (ano 66 a 70 d.C), quando viviam aterrorizados diante da iminência da guerra e destruição do Templo em Jerusalém pelo Império Romano. O Evangelho está a encorajar os cristãos dizendo: mesmo diante das dificuldades, se tivermos fé, teremos a força de Deus para lutar por uma vida melhor, teremos Deus a nos libertar do medo.

Hoje, temos razões para ter medo. Temos tantas formas de violências (roubos, homicídios, violência de gênero, sexual, intolerância religiosa, xenofobia, homofobia, criminalização de movimentos e grupos, desemprego etc.) e catástrofes naturais (falta de chuva, falta de água, elevação da temperatura climática, terremotos, epidemias etc.); tudo isso nos provocam medo.

O Evangelho de Jesus quer nos dar força, coragem e compreensão de como vencer o medo. Deus encarnou e se fez humano para nos ensinar seu projeto, pois quer nos libertar de todo temor. Do início ao fim, Deus está a nos encorajar:

Não tenham medo, eu estou aqui.

Gn 15,1; Gn21,17; Is 41,10; Lm 3,57; Dt 31,6; Mc 16,6; Mt10.26.28.31; Mt 14,27; Lc 12,32; Jo 6,20; Ap 1,17 etc.

Quando Jesus levanta a questão: “por que ter medo?”, nos pede uma atitude ativa e não passiva, pois o medo paralisa, ele é o contrário da fé em Deus e em seu projeto para a humanidade. 

O medo tem causa: é provocado por nós mesmos que não construímos uma sociedade do “Bem Viver”, com justiça, respeito e dignidade para todos. Enquanto vivermos a contradição de louvar e bendizer à Deus; porém, não colocarmos em prática seu projeto de amor ao próximo, cultivando em nosso dia a dia, no trabalho, na família, na sociedade, nas decisões de Leis que atendam a dignidade da pessoa humana, conforme é da misericórdia divina (Lc 15), não teremos ainda compreendido a pessoa de Jesus e os mandamentos de Deus. Viveremos então continuamente com “medo”.


Simone Furquim Guimarães é graduada em Teologia. Tem experiência na área de Leitura Popular da Bíblia no Centro de Estudos Bíblicos (CEBI).

Esta reflexão bíblica foi originalmente apresentada no Programa de Justiça e Paz, produzido pela Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília, que vai ao ar todo sábado, às 11:00, na Rádio Nova Aliança.

Imagem
ATELIÊ15
Instagram | Facebook | WhatsApp | Loja

Evangelho de Marcos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: