Batismo de Jesus no rio Jordão

Mistérios da Luz — I

Batizado o Senhor, os céus se abriram, e o Espírito Santo pairou sobre ele sob forma de pomba. E a voz do Pai se fez ouvir: Este é o meu Filho muito amado, nele está todo o meu amor!

Cf. Mt 3,16-17
Palavra de Deus

Marcos 1, 2-11

Está escrito no livro do profeta Isaías:
«Eis que eu envio o meu mensageiro na tua frente, para preparar o teu caminho. Esta é a voz daquele que grita no deserto: Preparem o caminho do Senhor, endireitem suas estradas!»

E foi assim que João Batista apareceu no deserto, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados. Toda a região da Judeia e todos os moradores de Jerusalém iam ao encontro de João. Confessavam os seus pecados, e João os batizava no rio Jordão.

João se vestia com uma pele de camelo, usava um cinto de couro e comia gafanhotos e mel silvestre. E pregava:
«Depois de mim, vai chegar alguém mais forte do que eu. E eu não sou digno sequer de me abaixar para desamarrar as suas sandálias. 8 Eu batizei vocês com água, mas ele batizará vocês com o Espírito Santo.»

Nesses dias, Jesus chegou de Nazaré da Galileia, e foi batizado por João no rio Jordão. Logo que Jesus saiu da água, viu o céu se rasgando, e o Espírito, como pomba, desceu sobre ele. E do céu veio uma voz:
«Tu és o meu Filho amado; em ti encontro o meu agrado.»

Magistério

Bento XVI

São Marcos narra que, enquanto João Batista prega na margem do rio Jordão, proclamando a urgência da conversão em vista da vinda já próxima do Messias, eis que Jesus, confundindo-se no meio das pessoas, se apresenta para ser batizado. O batismo de João é certamente de penitência, muito diferente do sacramento que será instituído por Jesus. Todavia, naquele momento entrevê-se já a missão do Redentor porque, quando sai da água, do céu ressoa uma voz e sobre Ele desce o Espírito Santo (cf. Mc 1, 10): o Pai celeste proclama-o seu filho predileto e testemunha publicamente a missão salvífica universal, que se realizará de forma completa com a sua morte na cruz e a sua ressurreição. Só então, com o sacrifício pascal, a remissão dos pecados será universal e total. Então, com o Batismo não nos imergimos simplesmente nas águas do Jordão para proclamar o nosso compromisso de conversão, mas é derramado sobre nós o sangue redentor de Cristo, que nos purifica e nos salva. É o amado Filho do Pai, em quem Ele pôs a sua complacência, que nos resgata a dignidade e a alegria de nos chamar a ser realmente “filhos” de Deus.

Homilia na Celebração do Batismo do Senhor, 11 de Janeiro de 2009.

1 Pai-nosso, 10 Ave-Marias e 1 Glória ao Pai.

Senhor, concedeis à Mãe Igreja,
de homens terrenos por natureza
fazê-los celestes pela geração no seu seio virginal,
a fonte do batismo.
Fazei que ela,
pelo evangelho da salvação e a graça dos sacramentos
os conduza à perfeita semelhança com o autor da vida,
nascido da santíssima Virgem,
o salvador universal, Primogênito de muitos irmãos,
Nosso Senhor Jesus Cristo,
que é Deus convosco, ó Pai, na unidade do Espírito Santo.


SANTO ROSÁRIO

Mistérios da Alegria
I II III IV V

Mistérios da Luz
I II III IV V

Mistérios da Dor
I II III IV V

Mistérios da Glória
I II III IV V

Imagem: Battistello Caracciolo (1578-1635). Batismo de Cristo, 1610/1615.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: