De olho e com discernimento nas eleições

Pe. Paulo Lisbôa, SJ

Estamos praticamente a um mês das eleições majoritárias. Temos lido, visto e ouvido as repercussões do debate com os candidatos e candidatas à Presidência da República. Cresce a expectativa! Embora pela idade mais avançada eu me exima de dar o meu voto nestas próximas eleições, senti internamente que devia colaborar com o esforço realizado por outras pessoas de Igreja na conscientização deste momento de discernimento político.

Para que seu voto seja conscientemente cristão é preciso que você comece a analisar criteriosamente não só as arengas falaciosas dos candidatos, mas muito particularmente as atitudes éticas deles. Nós cristãos temos o Evangelho de Cristo como norma dos verdadeiros valores humanos a serem vividos, não é mesmo? Por isso, nas linhas que seguem a minha intenção é a de estimulá-la/o em seu direito de cidadã/o. Depois dos 70 anos você poderá, como eu, decidir pela liberdade do voto. Aliás, devo ser sincero com você, dizendo-lhe que no meu entender o voto livre seria mais razoável e menos coercitivo. Parece-me que haveria bem menos ganâncias e até mesmo as corrupções que soem acontecer.

Como preâmbulo, é importante que se saiba ou se recorde que a nossa Igreja Católica incentiva as discussões políticas como boas ferramentas que ajudam na compreensão e na aquisição do que é necessário para se criar sociedades mais justas e fraternas. Encontros assim organizados com pessoas que se interessam pelo bem comum, terão sempre a segurança de que haja diálogo nas discussões, coisa que ajuda no discernimento em vista de escolhas pessoais mais livres. A nossa Igreja Católica aposta mais nesta ação em pequenos grupos do que em grandes campanhas de rua, quase sempre freneticamente partidárias e que em muitos casos, como se tem constatado, criam o ambiente nefasto das polarizações.

Neste sentido, foi publicada uma espécie de cartilha ou caderno de princípios com o título sugestivo: Encantar a política, sob a direção da CNBB. Esse opúsculo, lançado em abril deste ano, tem a colaboração de uma dezena de Organizações Sociais ligadas à mesma CNBB. Na apresentação desta espécie de cartilha, Dom Valmor Oliveira de Azevedo, lembra que o livrinho é uma “retomada de questões centrais das Encíclicas do Papa Francisco – Laudato Si, Fratelli Tutti – e da Exortação Apostólica pós Sinodal Alegria do Evangelho que tratam a Política como decorrência ética do mandamento do amor, assumindo-a no sentido mais profundo da palavra”. Está aí um ótimo subsídio que pode dar a você elementos sérios de discernimento cristão, na escolha a ser realizada dos candidatos, nas próximas eleições.

Ultimamente acontece por todos os estados brasileiros uma demasiada, para não dizer exagerada, movimentação popular. Nestas eleições parece que a polarização – esquerda X direita, a-moralistas X moralistas, religiões entre si… mexem demais com o emocional das pessoas. Esse contraste de forças antagônicas acaba atrapalhando uma análise mais objetiva e pacífica da questão humanitária que deveria prevalecer. Ela deveria ser o principal vetor a dar sentido verdadeiramente cristão, para a escolha de lideranças que se propõem a melhorar a convivência socioambiental.

Diante de um quadro político eleitoral tão polarizado, o que resta fazer? Pelo que vimos acima, a nós católicos e em especial àquelas e àqueles que têm o desejo sincero de votar bem, são apresentados instrumentos e ferramentas muito eficazes que poderão ajudar na escolha das/os candidatas/os. Apresento a seguir um deles, para muitas/os de vocês já bem conhecido e até já praticado para outros assuntos. Lembro o discernimento espiritual na linha inaciana.

Como se sabe, é preciso primeiro se comprometer com um bom tempo de análise pessoal, em ambiente de oração, antes de tomar grandes decisões. Nele a presença e a invocação do ESPÍRITO SANTO são imprescindíveis, pois é Ele que iluminará o processo final da escolha. Esta oração, no entanto, supõe que já tenha havido de sua parte uma primeira seleção de candidatas e candidatos que mereçam a sua consideração e apreciação. Para se chegar a essa primeira seleção, sugiro que você esteja atenta/o neste mês de setembro no que irá sendo exibido nas propagandas gratuitas das TVs e Rádios. Bastam duas ou três vezes dessa atenção, para que você possa compor a listinha de pessoas sobre as quais você rezará.

Em se tratando de candidatas e candidatos que pleiteiem reeleição, é só trazer à memória o que terão feito ou deixaram de realizar na última legislatura agora praticamente terminada. Pode ser que para algumas funções a primeira escolha seja mais rápida e não se precise demorar tanto tempo de oração. Esta será mais necessária nos casos de dúvida.

Feita a escolha definitiva é muito importante e oportuno finalizar o discernimento agradecendo as luzes recebidas e ao mesmo tempo sentir a paz interna que o Senhor no momento oferece. Será a confirmação de que você votará bem e até melhor do que em outras eleições passadas.

Termino estas minhas considerações sobre a atual conjuntura eleitoral, com uma última orientação que julgo fundamental, tirada dos Exercícios Espirituais (EE) de Santo Inácio de Loyola. Considere o que o santo diz para o exercitante que está em momento de escolhas importantes na vida. Ele disse que o exercitante então faça sua escolha

[…] não querendo nem procurando nenhuma outra coisa, senão em tudo e por tudo o maior louvor e glória de Deus nosso Senhor…

EE 189

31 de agosto de 2022

– I H S –

Pe. Paulo Lisboa, SJ é licenciado em Letras e bacharel em Filosofia e em Teologia, é sacerdote jesuíta com grande experiência na formação de jovens jesuítas e na orientação dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola (EE). 

Justiça e Paz Política

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

2 comentários Deixe um comentário

  1. Eu creio diante de Deus que a nosso querer ou não sempre prevalecerá a vontantade do pai que està no céu. Todo poder e toda honrra é dele mais sei também que aparti de nossas decisões seja ela qual for vem as aprovações isso já vinha dizendo aos mais próximo desde as eleições passada para presidente aonde tivemos duas opções do amor e ódio pois era de livre abitrio a escolha da humanidade e aconteceu diante da escolha que foi feita. Devemos orar a Deus e buscar essa fortaleza e sabedoria que vem do Cristo para que possamos diante do amor demandado por ele a nação aja a reversão desse desamor que vem nos assolando.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: