Seguir e testemunhar Jesus

Simone Furquim Guimarães

A leitura de hoje é Jo 21,20-25. João encerra seu Evangelho ressaltando os valores do discipulado de Jesus: seguir e testemunhar Jesus e permanecer fiel ao seu projeto de vida.

Pedro quer saber de Jesus o que acontecerá com o “Discípulo amado”. Na narrativa, e em todo o Evangelho, não sabemos o nome deste discípulo porque o Evangelho de João é escrito com uma riqueza simbólica para transmitir um significado muito profundo para a comunidade cristã e para nós hoje. Ser o discípula amado é ser o seguidor de Jesus e de seus ensinamentos.

Pedro sofrerá o martírio (v.19) e o “Discípulo amado” vai permanecer até que Jesus venha (v.22). Na conclusão da leitura, o editor final do Evangelho diz que quem deu testemunho de tudo o que aprendemos neste livro foi o “Discípulo amado”.

Nessa perspectiva simbólica, muito encontrada no evangelho de João, compreendemos que o discípulo amado é símbolo da comunidade que permaneceu fiel aos ensinamentos de Jesus. Essa comunidade foi passando de geração em geração até chegar a nós. Nós, também somos os discípulos amados de Jesus quando permanecemos fiéis ao seu projeto de vida.

E permanecer fiel ao projeto de Cristo demanda enfrentar os conflitos da nossa realidade atual. Naquele tempo, as comunidades cristãs enfrentaram sérios conflitos e perseguições por parte dos poderes políticos e religiosos.

Neste ano de decisão eleitoral, somos convocados a permanecer no amor de Jesus Cristo, seguindo o seu Caminho. Qual foi o caminho de Jesus? Sabemos que Jesus foi uma pessoa inteiramente preocupada com as minorias de seu tempo, com os mais vulneráveis. Por isso, Jesus era um cidadão político. Seu caminho foi o de resgatar a dignidade das pessoas. Portanto, Jesus foi um cidadão inteiramente político.

E, como cristãos e cristãs somos convocados a aliar essa fé com a política, defendendo projetos políticos que mude essa estrutura de sociedade, onde temos em evidência gritante a desigualdade social e econômica, levantada pela pesquisa da Oxfam Brasil: “Seis brasileiros têm uma riqueza equivalente ao patrimônio dos 100 milhões mais pobres do país”. Isto é: “Uma trabalhadora que ganha um salário mínimo por mês levará 19 anos para receber o mesmo que um super-rico recebe em um único mês”.

Isto reflete a diferença abissal entre o pobre Lázaro e o rico mal e insensível, retratado no Evangelho de Lucas (Lc 16,19-31).

Hoje, é necessário seguir, testemunhar, permanecer firme no compromisso cristão, anunciando que Jesus é o Cristo, Filho de Deus, para que todos tenham a vida em Seu nome (Jo 20,31).


Ouça no Podcast Ignatiana


Simone Furquim Guimarães é mestre em Teologia na linha bíblica. Tem experiência na área de Leitura Popular da Bíblia no Centro de Estudos Bíblicos (CEBI/Planalto Central).


Esta reflexão bíblica foi originalmente apresentada no Programa de Justiça e Paz, produzido pela Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília, que vai ao ar todo sábado, às 11:00, na Rádio Nova Aliança.

Desde outubro de 2020, também disponível no podcast Ignatina.

Palavra de Deus Simone Furquim Guimarães

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: