Anunciar o Direito e a Justiça

Simone Furquim Guimarães

A leitura do Evangelho proposta pela igreja hoje é Mt 20,20-28. Nela relata Jesus no caminho, aproximando-se do seu último caminho aqui na terra (Jerusalém). Caminho é método. Ele ensina aos discípulos o caminho para alcançar o Reino de Deus. Não é através do sistema proposto pelos governos da época: “Sabeis que aqueles que vemos governar as nações as dominam, e os seus grandes as tiraniza. Entre vós não será assim: ao contrário” (v.25).

Desde a infância Jesus vivencia a violência provocada pelo Império Romano (aqueles que governam as nações), que dominava toda região dos judeus, tendo como governos vassalos ao imperador os descendentes de Herodes, tão cruéis como seu pai. A sociedade era dividida por um sistema em forma de pirâmide. Os governantes e a elite se posicionam no topo e, de lá, dominam e exploram os que se posicionam na base.

Os quarenta anos no deserto foram necessários para que o povo compreendesse que deveriam sair desse sistema piramidal, regido pelo faraó do Egito e passassem a viver o sistema circular, igualitário, fraterno e solidário, proposto por Deus. Viveram apenas 150 anos numa sociedade tribal e igualitária. Com a instauração do regime monárquico, voltaram o mesmo sistema de poder e dominação.

No Evangelho de hoje, os discípulos brigavam pelos primeiros lugares no Reino de Deus. Não haviam compreendido as Escrituras e nem os ensinamentos de Jesus. A forma de pensar e ver o mundo (igual ao sistema dos faraós), ainda permanece na cabeça desses discípulos.

Foi no caminho da Galiléia para Jerusalém que Jesus ensinou como é o reinado de Deus: é serviço, é doação:

aquele que quiser tornar-se grande entre vós seja aquele que serve (escravo, tradução original) e o que quiser ser o primeiro dentre vós, seja o vosso servo (escravo)” (v.26).

Ou seja, o discípulo deve assumir suas responsabilidades com humildade e espírito de serviço.

Hoje, diante dessa pandemia pelo COVID19, estamos atravessando um “deserto” sombrio. Mas é tempo propício para refletir e constatar que devemos “tirar o faraó” de dentro de nossa cabeça; devemos romper com o modelo de sociedade que domina, explora os recursos naturais de forma selvagem. O capitalismo selvagem está matando as pessoas e toda a natureza. Jesus vai dizer para nós: “Sabeis que esses que vemos governar as nações as dominam, e os seus grandes as tiraniza”. Devemos aprender a agir ao contrário (v.25). Devemos estar a serviço, cuidando da natureza, que inclui todo o ser.


Simone Furquim Guimarães é mestre em Teologia na linha bíblica. Tem experiência na área de Leitura Popular da Bíblia no Centro de Estudos Bíblicos (CEBI).

Esta reflexão bíblica foi originalmente apresentada no Programa de Justiça e Paz, produzido pela Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília, que vai ao ar todo sábado, às 11:00, na Rádio Nova Aliança.

Desde outubro de 2020, também disponível no podcast Ignatina.

Palavra de Deus

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: