Rezando as bem-aventuranças

Joana Eleuthério *

O Jesus que os Evangelhos nos apresentam deixa transparecer, permanentemente, um sentimento sereno e agradecido diante da vida. Ele vive apaixonado pelo Reino do Pai. Ele é um homem aberto e próximo das pessoas, com uma enorme capacidade de relação, de maneira especial diante dos mais pobres e excluídos. Mostra uma infinita confiança nas pessoas que encontra, seja qual for sua situação existencial. (Pe. Adroaldo Palaoro, SJ)

Sou bem-aventurada quando tenho a oportunidade de conhecer Jesus e rezar com Ele.
— Muitos não a tiveram.

Sou bem-aventurada quando percebo que Jesus me acolhe e confia em mim, apesar da minha pequenez e dos meus pecados. Como aconteceu a Zaqueu, a Mateus … A fé cura a nossa inteligência.
— Muitos não têm tempo, nem olhos e nem ouvidos para perceberem isso e se deixarem curar.3 Felices los limpios de corazon166x236

Sou bem-aventurada quando escuto Jesus, em sua infinita ternura, dizendo-me “aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”, então respiro fundo e faço a opção pela paz e por atitudes mansas, humildes e compassivas.
— Muitos se perdem em vinganças, atitudes violentas e agressivas.

Sou bem-aventurada quando sinto que, em minha humanidade, estou sendo ensinada a purificar o coração para perceber o quanto preciso da graça do discernimento para fazer escolhas amorosas e acolhedoras …
— Muitos desumanizaram-se por falta de amor.

Sou bem-aventurada quando sou capaz de silenciar e perceber o Sopro me apontando a direção, a Luz me apaziguando, lavando-me da prepotência e me levando a caminhar com serenidade e confiança no Pai, como faz Jesus Cristo.
— Muitos nunca silenciam, mas não dizem nada, nem percebem coisa alguma.

Sou bem-aventurada quando sou capaz de perceber a misericórdia do Pai na beleza das pequenas coisas do meu cotidiano, ou mesmo nos problemas e enfermidades.
— Muitos passam pela vida sem experimentar as maravilhas da filiação divina.

Sou bem-aventurada quando encontro pessoas que pacificam, acolhem e que me dão a mão, aceitando meu ritmo, caminhando comigo e alimentando a minha esperança.
— Muitos passam pela vida em completa solidão…

Sou bem-aventurada quando fazendo a leitura orante dos Sermões das Bem-aventuranças em Mateus ou em Lucas, percebo o quanto necessito acolher e amar os pequeninos e os fragilizados. Todos eles são os preferidos Daquele que veio por causa dos doentes e dos pecadores…
— Muitos precisam do meu olhar, das minhas mãos e do meu cuidado amoroso.

Sou bem-aventurada quando me sinto amada incondicionalmente, orientada e cuidada pela Trindade Santa.
— Muito tenho a fazer para entrar no “movimento da misericórdia”, que Jesus vivencia e nos convoca a fazer o mesmo para que o Reino de Deus aconteça entre nós, desde agora, e pelos séculos dos séculos.

São João Del Rey, fevereiro de 2019

 


* Joana Eleuthério é analista de Políticas Públicas e Gestão Governamental da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão do Distrito Federal.

Imagem: Le Beatitudini — Cerezo Barredo, 2006.

Espiritualidade

Joana Eleuthério Visualizar tudo →

Caminhante sem nenhuma linearidade e com variados interesses.

3 comentários Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: