A saudade da Mimi

Ligia Medeiros *

Uma história para os adultos
que ainda são crianças.

Essa é a Mimi. Ela gosta de nadar, de carregar gato no colo, de brincar com o Felipe e de Bis.
Mas, volta e meia ela sente uma saudade.
Uma saudade, assim, de quem já provou uma coisa boa, mas não sabe dizer o que é.
A saudade que a Mimi sente não aparece o tempo todo e, muito menos, vem sozinha.

Quando ela acontece, vem junto uma sensação boa:

Dá uma vontade de respirar fundo, e uma onda de amor enche o seu coração.

Mimi sente um bem-querer que não fica só nela.

Vai também para os outros com tanta força que ela nem sabe explicar.

Nessa hora, ela vê tudo com olhos de primeira vez, e se encanta com as coisas que estão no mundo, pois a vida passa a ser toda com letra maiúscula.

Os amigos — e os nem tanto — ficam importantes, e todos recebem atenção: passarinho, planta, formiga, gente.

Mimi sabe, sem querer, que ela faz parte de tudo que está à volta dela.

Tem vontade, nessa hora, de abraçar o mundo e de cuidar dele.

Sabe como ela se sente? Que ela e os outros são uma coisa só.

Por isso é que, quando uma coisa boa acontece com um, ela fica feliz.

E, quando uma coisa não tão boa acontece com outro, ela sente tristeza e sofre.

E, tem alguém, maior do que tudo e todos, que sofre e se alegra junto da gente. É o nosso Pai do Céu.

Na língua que Jesus falava no seu tempo, o Pai do Céu chamava-se Abbá, que significa paizinho — um jeito ainda mais carinhoso de chamar o pai.

Esse papai maior de todos é a fonte do Amor; é ele que faz com que o nosso coração não seja duro e indiferente ao que acontece na vida.

É ele quem cuida e faz de nós, e de tudo o que nos rodeia, parte de um mesmo sentimento do mundo.

Ele está em tudo: Nós estamos nele, e ele em nós; tudo vem dele, e volta para ele.

Os nossos pais, e os outros adultos, preocupados com as coisas que eles acham importantes, já não se lembram mais disso.

Quando Mimi virar gente grande ela vai se esquecer das coisas que toda criança sabe.

Por enquanto, por ser ainda pequena, ela sabe que o Papai cuida dela e a ama.

E também, por ser pequena, ela ainda se lembra dele e o ama.

Sabe por quê?

É bem simples, até: O Papai a amou desde sempre. Antes de nascer, Mimi estava nele e vivia com ele.

Mas o Papai desejou que ela tivesse um corpo de bebê e nascesse da barriga daquela mãe que ele escolheu.

Quando Mimi apareceu no mundo, o pai e a mãe da terra cuidaram dela, e também a amaram.

Mas, quando começar a virar gente grande, ela vai, aos poucos, se esquecendo daquele Pai; no lugar da lembrança, fica só uma vontade de suspirar, que é uma saudade que ela nem sabe mais do que.

Quando o Papai do alto escuta esses suspiros, ele responde de um jeito que é só dele – vai morar naquele coração, porque sabe que são suspiros de saudade do Amor.

Se você sentir uma saudade assim, é o Abbá pedindo para entrar no lugar que é o mais precioso para ele — o seu coração. Esse é o seu lugar de descansar e amar, o lugar secreto com uma fechadura que só vocês dois têm a chave para abrir.

Mas, para isso, é preciso que você o convide. Ele não entra sem ser chamado. Você só vai à casa de alguém quando é bem-vindo, não é? …A mesma coisa.

Depois que ele entrar e ficar dono do seu coração, você também vai ser dono do coração dele. Vocês serão prisioneiros do amor um do outro. O amor que você lhe dá faz crescer o seu nome; e você, cheio do amor dele, viverá uma alegria tão grande que vai sentir vontade de espalhar aquele amor pelo mundo. E, assim, recebendo e distribuindo amor, o pai do Céu faz a felicidade das pessoas.

Quando se tem um amigo tão importante, o que mais se pode desejar?  Ser como ele, e fazer as coisas que ele faz! Só que, às vezes a gente não sabe como, nem o que pedir direito. Aqui tem uma lista de coisas que vão te ajudar a começar:

Abbá

  1. Que você me proteja todos os dias, mesmo se eu me esquecer de pedir;
  2. Que você seja o mais importante dos meus amigos;
  3. Que eu confie em você como eu confio no meu pai e na minha mãe aqui da Terra.
  4. Que, assim como eu vim, que eu volte para você e, enquanto eu estiver aqui, que eu o ame de verdade;

O que mais você deseja pedir?

Ele escuta, experimente só. Mas, faça isso todos os dias, sem desistir, porque às vezes Ele demora um pouco para responder. Sabe como é, você é amigo de uma pessoa que não liga para o tempo e por isso não tem pressa, alguém que sempre existiu e sempre existirá, e que está acostumado a ver tudo com olhos de eternidade…

— novembro de 2018


* Lígia de Medeiros é artista, designer, educadora e carioca.

Espiritualidade

4 comentários Deixe um comentário

  1. Que coisa mais linda, Lígia! Vou sair compartilhando com todo mundo, viu?

    Estou duplamente encantada. Pela beleza e leveza de seu texto, mas também porque esse tipo de literatura é uma de minhas paixões. Fiz uma monografia de pós propondo uma linguagem adequada ao público infantil. Para mim, você encontrou a forma ideal, a medida certa. Você é ou foi catequista?

    Seja sempre muito abençoada e continue nos trazendo seus preciosos tesouros.

    Grande abraço.

    Joana

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oi Joana! Obrigada pela sua crítica tão generosa. Isso me anima a continuar em projetos como esse. Não sou nem fui catequista. Apenas adoro crianças e queria repassar para elas um sentimento tão precioso, e manter a sua dimensão profunda. Conversemos mais. Bj

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para Joana Eleuthério Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: