O grão de trigo

Aproxima-se a festa de Santo Inácio. Brasília vive as vésperas com mistura de sentimentos.

Manuel Eduardo Iglesias, SJ

Havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém para adorar durante a festa. Eles se aproximaram de Filipe, que era de Betsaida da Galileia, e disseram: “Senhor, queremos ver Jesus”. Filipe conversou com André, e os dois foram falara com Jesus. Jesus respondeu-lhes: “Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade, vos digo: se o grão de trigo que cai na terra não morre, fica só. Mas, se morre, produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem não faz conta de sua vida neste mundo, há de guarda-la para a vida eterna. Se alguém quer me servir, siga-me, e onde eu estiver, estará também aquele que me serve. Se alguém me serve, meu Pai o honrará. Sinto agora grande angústia. E que direi? Pai, livra-me desta hora? Mas foi precisamente para esta hora que eu vim. Pai, glorifica o teu nome! Veio, então, uma voz do céu: “Eu já o glorifiquei, e o glorificarei de novo” (Jo 12,20-28).

Aproxima-se a festa de Santo Inácio. Brasília vive as vésperas com mistura de sentimentos. Eu, a distância, sinto-me dividido. O que fazer? Hoje, dia 25 de julho festa de São Tiago pedi ao Senhor sua luz e contemplando o olhar de Jesus no ícone da capela Santo Afonso, aqui em Itaici, veio à minha mente este texto do evangelho de João. Foi como um bálsamo de paz e esperança. Como é rico e apropriado ao momento. A Palavra de Deus é vida!

Os “gregos de hoje” querem ver Jesus! Cada dia verifico isto nesta casa de Itaici. Filipe e André os aproximam de Jesus. É o que seus discípulos de hoje desejamos fazer, tanto aqui como em Brasília e no mundo inteiro. Qual a palavra de Jesus? Responde ao pedido dos gregos e dos discípulos? Diretamente não. Isso nos ajuda a pensar e refletir para tirar algum proveito. O que ele quis dizer? Chegou a hora em que o Filho do Homem, ele mesmo, vai ser “glorificado”. Ouvi bem? Glorificado! Será a hora do seu triunfo final? Que tipo de glória vai ser? Escutemos. Jesus se põe solene (em verdade, em verdade vos digo). Se o grão de trigo que cai na terra não morre, fica só. Mas, se morre, produz muito fruto. Quando Jesus quer falar algo profundo demais para a nossa limitada capacidade recorre à linguagem da alma, as parábolas, que não são as palavras, mas  imagens que tocam a alma através das emoções. Como Inácio sabe disto e o aproveita especialmente nas contemplações de Jesus, imagem visível do Deus invisível.

O que a imagem do grão de trigo toca no nosso coração? Primeiro, Jesus se identifica com esse grão de trigo! Ele saiu do Pai e caiu na nossa Terra. Se ele não morrer vai ficar só! Mas, se morrer vai produzir muito fruto! Dá para entender? E acrescenta para nós: quem se apega à sua vida, perde-a. Fica só e estéril! Mas, se morre, produz muito fruto. Acontece em verdade com todo grão de trigo que se multiplica e aconteceu também com o próprio Jesus. E aí vem a mensagem que estamos precisando ouvir, entender e praticar: Se alguém me quer servir,- ser meu discípulo ou discípula-, siga-me... – pelo mesmo caminho-, e onde eu estiver, estará também aquele, aquela, que me serve.

Sinto agora grande angústia! Não é fácil morrer. Morrer a nossos sonhos, projetos e esperanças. Sair de si, “do seu próprio amor, querer e interesse” [EE 189]. E que direi? Pai, livra-me desta hora? Mas foi precisamente para esta hora que eu vim. Pai, glorifica teu nome! Qual  é a “Glória de Deus”? Santo Irineu nos ajuda: Que o ser humano tenha “vida”! A glória de Deus é seu amor sem medida. O mistério pascal. Morrer para ressuscitar. Ser “grão de trigo”.

Veio, então, a VOZ do céu: Eu já o glorifiquei, e o glorificarei de novo.

Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos (Jo 15,13).

O nosso olhar de fé, após o dia 31 de julho deixar-se-á iluminar por uma luz de esperança. O grão de trigo do tanto esforço do Padre Marcello de Carvalho Azevedo. Os dons de tantos benfeitores. O trabalho de tantos Irmãos e Padres jesuítas durante cinquenta anos. A dedicação de tantos leigos e leigas. Os serviços de tantos funcionários…, enquanto soterrados pelas máquinas poderão, pela misericórdia do Senhor, fazer germinar frutos floridos de vida.

Levantai os olhos e vede os campos, como estão dourados, prontos para a colheita! (Jo 4,35).

Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações… Eis que estou convosco todos os dias até o fim dos tempos (Mt 28,19-20).

25 de julho de 2018, Festa de São Tiago, apóstolo.

Brasília Espiritualidade

1 comentário Deixe um comentário

  1. Apenas para enfatizar: “O nosso olhar de fé, após o dia 31 de julho deixar-se-á iluminar por uma luz de esperança.” E pela luz do Espírito Santo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: