Rezar uns pelos Outros…

Joana Eleuthério

Jesus é quem docemente ‘nos’ conduz à plenitude da fé. O cenário é o mesmo em Mateus 9,2, a propósito do paralítico de Cafarnaum. Significa que, frente aos nossos problemas, podemos e devemos contar com a fé dos outros. Assim como também eles devem poder contar com a nossa fé.

Marcel Domergue

Negra noite da pandemia,
do distanciamento social
e da proximidade virtual …
— como possibilidade real.
Amigos desaparecem sem adeus
Quem sobreviverá?
Quem pagará essa conta?
futuro sombrio, feito de ausências.

Do sumiço inesperado e dolorido
do susto de saber que a pessoa se foi
e que não mais a encontraremos,
nasce o medo de novas ausências
nas mensagens, chamadas de vídeo…
Nenhuma possibilidade de reencontro
no pós-pandemia – buraco no coração.
como ver novas todas as coisas em Cristo?

Vejo pessoas zombando dos cuidados sanitários recomendados
Outras se acostumando, relaxando e achando tudo normal…

Sem a eucaristia por mais de um ano,
me sinto frágil, triste e angustiada …
As vacinas chegaram e
já se vê bons resultados,
mas ainda não tem para todos.
E há gente que nem quer se vacinar,
mas acredita no kit covid.
como ajudar os excluídos de tudo?

Há gente que morreu por falta de oxigênio,
por falta de vagas, por falta de medicamentos
necessários para intubação e muitas outras faltas…
Há profissionais da saúde dando o sangue
na tentativa de salvar vidas e amenizar a dor.
Nas periferias, há muita gente, muitas famílias
que despencaram do subemprego ao desemprego.
como salvar essas vidas famintas?

Ouvi-nos, Deus da compaixão, do amor e da fidelidade.
Queremos amar como Jesus nos amou …

Não nos detivemos perante os teus apelos constantes, não despertamos face a guerras e injustiças planetárias, não ouvimos o grito dos pobres e do nosso planeta gravemente enfermo. Avançamos, destemidos, pensando que continuaríamos sempre saudáveis num mundo doente.

Papa Francisco no silêncio Praça São Pedro totalmente vazia

Pai, a desesperança quer tomar conta
de nossa vida, de nossa fé, de nosso amor…
Precisamos ser perdoados, perdoadas
pela nossa imensa fraqueza a nos abater.
Rezemos e supliquemos uns pelos outros, pelos inimigos.
Não só por nós, pelos amigos ou por nossa família.
Oremos por todos os falecidos e seus familiares.
Como rezar pelo irresponsável desgoverno que temos?

“Pai nosso!” – foi Jesus que nos ensinou
a pedir o pão e o perdão para todos e todas.

Em meio a essa grande tristeza e desencanto,
ouço Jesus, enfático: “Amem-se uns aos outros … Amem-se!
Como vos amei e como meu Pai e eu nos amamos.”
A forte presença do Espírito Santo é o cumprimento
da palavra de Jesus: “Estarei convosco todos os dias.”
Para nosso Deus, o Deus da misericórdia, o Deus da vida,
nem a morte nem a tristeza terá a última palavra.
a Ressureição resgatará todo mundo?

Deus não violenta a dignidade nem a liberdade do ser humano,
Ele ama-o e acolhe-o, na sua ampla e doce hospitalidade.

São tantas perguntas sem respostas,
tantos mistérios a desvendar e a nos desafiar…
Passada a pandemia, temos de nos tornar gente do bem,
pessoas realmente muito melhores do que antes.
O Espírito Santo nos dá coragem e sabedoria…
Antes de mais nada, devemos fazer uma boa análise
do caminho que fizemos até aqui. Seremos honestos?
— Os sentimentos de preocupação e compaixão sobreviverão?

Senhor, falhamos em nossa corresponsabilidade diante da Vida
Distraídos, não contribuímos no cuidado fundamental
nem prestamos atenção à direção do sopro do Espírito …
Rezar não basta, pedir perdão não basta.
De novo, pergunto: Senhor, o que espera que façamos agora?
Depois de um ano de pandemia, das quarentenas e máscaras,
há o risco de cairmos na rotina da indiferença, outro vírus destruidor.
— Meu Pai, quando mesmo a pandemia vai passar?

Devemos mudar nosso estilo de vida consumista e egoísta
para proteger nosso futuro – da humanidade e da Terra
com toda a sua diversidade.

A Mãe Terra não nos ataca, mas nos deu uma grande lição
O confinamento – oportunidade para ver o planeta regenerar-se
sem os nossos excessos e para refletirmos sobre nossos erros.
Em nossa esperança de cada dia nos livraremos de
ameaças semelhantes ao vírus e de atitudes de desamor e egoísmo
Cuidemos da urgência de toda fome dos empobrecidos e da
importância de construirmos relações novas – com a natureza
e entre nós:  sonhemos como a Fratelli Tutti nos propõe:
sonhemos com a fraternidade sem fronteiras, pelo nosso futuro.

Na impotência experimentada diante
de tantas calamidades inaceitáveis
de tantas dores e fragilidades, veio
a certeza de que podemos e devemos rezar
uns pelos outros, em todo tempo e lugar
.
Ouvir Tiago 5:16, é algo que nos conforta:
Confessem os seus pecados uns aos outros
e orem uns pelos outros para serem curados.”

Boff já nos perguntou: que Terra vamos construir
juntos depois da pandemia
? — tudo está interligado.
Precisamos de um novo começo, do sabor de novidade,
não dá para fazer remendos, improvisações…
A vida comunal precisa ser recuperada com urgência.
Que o Espírito Santo nos torne servos úteis para que
a Trindade Santa possa atuar entre nós e por meio de nós.
Nossa Senhora e São José, rogai por todos e pela Terra!!

“Porque sois tão medrosos?
— Ainda não tendes fé?”

Meu Jesus, a tempestade ainda está aí,
Mas agora somos náufragos…
No meio do bonito oceano, teimosamente
mantivemos a esperança nadando sem rumo
e nos dispersando em meio às altas ondas…
O mundo não se percebe no mesmo barco
ainda há discussões e polêmicas inexplicáveis
Agora, a fome e o vírus disputam quem mata mais.

A vacina salva vidas e enriquece os laboratórios
É o fracasso do amor, da ética e da sensibilidade,
as pessoas se dividem em esquerda e direita
e não se dão as mãos para defender a Vida.
Falta zelo pelo bem comum e sobram desfiles de egos e
Idólatras no planalto central no meio dos Três Poderes.
O Brasil naufraga no mar das disputas vazias e sem sentido
Tira-nos, Senhor, dessa rota de uma catástrofe anunciada.

Rogamos pela humanidade, pela vida, pela Índia, pela África, pela Faixa de Gaza, por todas as regiões em conflito e por todo o Planeta. Envia-nos, Senhor, a sua Paz e o seu Santo Espírito.
— Amém.

Brasília, maio de 2021

Joana Eleuthério é graduada em Letras. Servidora pública aposentada da Secretaria de Estado de Economia do Distrito Federal – Escola de Governo do Distrito Federal (EGOV).
Inaciana, avó e mãe, caminha pelas estradas de Jesus, de Santo Inácio e de Santa Teresa de Ávila, por onde tem se inserido na Comunidade do Centro Cultural Brasília (CCB/Jesuítas). Muito grata pela caminhada realizada até aqui.

Todos os textos de Joana [clique aqui]

Imagem: Lasar Segall — Pogrom, 1937.

Espiritualidade cristã

Ignatiana Visualizar tudo →

IGNATIANA é um blog de produção coletiva, iniciado em 2018. Chama-se IGNATIANA (inaciana) porque buscamos na espiritualidade de Inácio de Loyola uma inspiração e um modo cristão de se fazer presente nesse mundo vasto e complicado.

2 comentários Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: