Rezando a Ascensão de Jesus

Joana Eleuthério

E Jesus levantando as mãos os abençoou e enquanto os abençoava, despediu-se de seus amigos

Lucas 24, 50-51

Abençoar é desejar a alguém o bem do mais profundo de nosso ser, mesmo que nós não sejamos a fonte da benção, mas apenas suas testemunhas e portadores. Aquele que abençoa não faz senão evocar, desejar e pedir a presença bondosa do Criador, fonte de todo bem. Por isso, só se pode abençoar numa atitude de agradecimento a Deus. (Padre Adroldo Palaoro)

Era uma casa simples, grande, mas sem forro, onde os sons navegavam livremente por cima das paredes e pelo antigo assoalho de tábuas. O quarto maior era para o casal, um quarto médio para as filhas e outro para os filhos. Como a família tinha uma turminha bem numerosa, as camas das crianças menores eram compartilhadas por duplas. Vivíamos em um canto qualquer de um sertão nas montanhas de Minas … A Fazenda do Isidoro, Capim de Cheiro …

À noite, a família rezava o terço e a meninada, alguns já adolescentes, íamos ‘tontos’ de sono para as nossas camas e o coral começava: “Bença pai”, “bença mãe”, “bença pai”, “bença mãe”… Os nossos pais respondiam: “Deus abençoe, minha filha!”, “Deus abençoe, meu filho!” até que se completavam os numerosos pedidos da numerosa prole para o pai e para a mãe, seguidos de suas correspondentes bênçãos, que vinham deles para cada um de nós. O dia amanhecia muito cedo para a lida com os animais no curral, no chiqueiro etc. Mamãe, ficava em casa na lida com as tarefas domésticas. Os mais velhos iam de pé para a escola, que ficava a algumas léguas de nossa casa. Assim, de manhã a sinfonia de bençãos se repetia, não no mesmo tom e nem no mesmo ritmo da noite.

Quando fecho os olhos e relembro tudo isso, me sinto a pessoa mais abençoada do mundo. Espero que meus irmãos e minhas irmãs também. E tenho certeza que, de onde papai e mamãe estiverem, continuam nos abençoando todas as noites e todas as manhãs. A pureza e a ternura era o nome deles.

— Por que perdemos tudo isso e não conseguimos ensinar aos filhos e às filhas a nos pedir a benção e a abençoar outras pessoas? À noite, pela manhã ao se levantar, ao sair de casa, ao cruzar com gente pela rua? Será que abrimos mão do nosso poder de abençoar?

Deus olha para todos os seus filhos e todas as suas filhas com muita ternura e compaixão e, diariamente, abençoa toda a humanidade. Jesus escutou e fez como viu seu Pai fazer (João 6, 19). Hoje, mais do que nunca, precisamos desenvolver esse olhar terno e compassivo, que só pode nos fazer bem e nos ajudará a espalhar a bondade e a delicadeza de Jesus, que caracterizaram a sua trajetória humana quando Ele se tornou um nós.

APRENDEI DE MIM QUE SOU MANSO DE HUMILDE DE CORAÇÃO

Como disse Padre Adroaldo, “esquecemo-nos de que somos canais da bênção de Jesus. A nossa primeira tarefa é ser testemunha da Bondade de Deus. Manter viva a esperança, não nos rendermos diante de tanto ‘maldizer’.”

No Evangelho deste domingo, Lucas (24, 46- 53) insiste para que os apóstolos, as discípulas e os discípulos de Jesus continuem indo diariamente ao templo para bendizer a Deus, o que não era a função desse espaço naquela época. “A função do templo era oferecer sacrifícios. A comunidade de Lucas muda a natureza do templo para uma função mais gratuita e amorosa: bendizer a Deus. Bendizer a Deus é dizer bem da vida, é festejá-la e referi-la ao Espírito. É proclamar que todas as criaturas testemunham sua presença e o seu amor fiel.” (Marcelo Barros)

Parece que nos esquecemos que, como cristãos, somos portadores da bênção que recebemos de Jesus na sua ascensão aos céus. E o mundo anda carente de bênçãos e de luz! Rezar pelas pessoas e abençoá-las, também abençoar (bendizer) à vida e à criação é uma forma de ajudar na construção de um mundo mais humano, mais justo, solidário e fraterno.

Desde o primeiro testamento somos orientados, orientadas a abençoar:

Estas foram as palavras do Senhor a Moisés: “Dize a Aarão e a seus filhos o seguinte: Eis como abençoareis os filhos de Israel: O Senhor te abençoe e te guarde! O Senhor te mostre a sua face e conceda-te a sua graça! O Senhor volva o seu rosto para ti e te dê a paz! E assim invocarão o meu nome sobre os filhos de Israel e eu os abençoarei”.” (Números 6, 22-27)

Assim como São Francisco adotou essa benção, eu sinto e acredito que Deus espera que todas as suas filhas e todos os seus filhos sejamos capazes de crer na força destes versículos para retomarmos essa prática. Dessa forma, sob a luz do Espírito Santo, o mundo será invadido por tantas bençãos que o malfazer e o maldizer irão perder espaço no meio de nós.

Concordo com o Padre Adroaldo, quando disse que “só se pode abençoar numa atitude de agradecimento a Deus”. Que a nossa gratidão se traduza em muito mais do que belas palavras!

Amém!

Brasília (DF), 2 de junho de 2019.


Joana Eleuthério é graduada em Letras. servidora pública aposentada da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão do Distrito Federal.

Imagem: Cerezo Barredo. Mural de la Catedral de la Prelatura
de São Félix do Araguaia.

Tempo da Páscoa

Joana Eleuthério Visualizar tudo →

Caminhante sem nenhuma linearidade e com variados interesses.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: